Cinco motivos por que The Vampire Diaries está ruim



Por vezes, nos vemos presos em determinados relacionamentos que claramente não funcionam mais, porém nos mantemos presentes devido ao apego aos bons tempos ou a esperança de que as coisas melhorem. Essa é a descrição que pode ser aplicada a muitos dos fãs que continuam acompanhando The Vampire Diaries. É fato que a série, aclamada por suas primeiras temporadas elaboradas e impactantes, perdeu fôlego, sobrevivendo muito mais pela credibilidade de tempos atrás. E para discutir essa queda de qualidade da produção, abaixo são listadas os cinco principais aspectos que contribuíram para essa situação.

DESGASTE DO TRIÂNGULO AMOROSO



Triângulos amorosos sempre foram usados como uma excelente alternativa para movimentar produções com públicos como o de TVD. Ao apresentar duas alternativas de casal central, tem-se uma competição saudável dentro da base de fãs que ficam sempre na expectativa de que sua combinação favorita venha a acontecer. Por algum tempo, o recurso foi usado adequadamente dento de TVD porém, depois de seis temporadas, este se tornou cansativo e desgastante para os telespectadores. A dinâmica entre os protagonistas continua exatamente a mesma de seis anos atrás, não tendo sido alterada em momento algum. Pois apesar de Rebekah ter interagido com este núcleo por algumas vezes, suas intervenções sempre foram ocasionais e a trama nunca deixou de girar em torno de Elena e seu dilema na escolha dos irmãos.

ARCO CENTRAL POBRE


Embora o triângulo amoroso seja o argumento central do show, TVD ofereceu, em seus primeiros anos,  enredos muito atraentes e sólidos: a abertura da tumba, a maldição do sol de da lua, a chegada dos Originais e a criação de híbridos. O fato é que a perda de consistência se tornou óbvia a partir da trama envolvendo a cura e se estendeu com a mudança para a universidade e a chegada dos viajantes. Esses assuntos proporcionariam sim boas histórias, se tivessem sido desenvolvidos da maneira certa. O plot da cura, por exemplo, poderia ter rendido excelentes episódios se não tivéssemos que esperar uma temporada inteira para que ela tivesse alguma utilidade. Neste caso específico, o fator comprometedor foi a escolha do vilão, pois teria sido muito mais interessante começar com Tessa para depois chegar no esquecível Silas.

MORTES E RETORNOS SE TORNARAM BANAIS



TVD criou, em suas primeiras temporadas, um clima de insegurança dentro do roteiro. Ninguém estava a salvo de deixar o show e público via seu personagens favoritos serem sacrificados de forma impactante. Anna, Lexie, Jenna, Alaric e tantos outros seguiram esse caminho para descontentamento dos telespectadores. Porém, depois de algumas temporadas a banalidade da morte passou ser uma característica da produção, e depois da quarta temporada, a perda de quase nenhum personagem passou a importar. RIP Kol. Complementarmente a esse fato, retornar da morte também passou a ser muito fácil, e o retorno dos personagens perdidos passou a ocorrer de forma corriqueira. Alguns personagens como Jeremy e Bonnie já voltaram do outro lado tantas vezes que se tornaram piadas, e cliffhangers já não possuem credibilidade. 

COADJUVANTES CHATOS E SEM DESTAQUE



Como se não bastasse o desgaste da interação entre os protagonistas, os coadjuvantes passaram por um processo de descaracterização, perdendo ênfase e notoriedade dentro do conjunto. Na segunda temporada, por exemplo, Caroline, Tyler, Bonnie, Alaric e Jeremy chegaram a roubar a cena em suas jornadas de desenvolvimento das suas habilidades como entidades sobrenaturais ou de caçadores. Porém, tudo isso se perdeu e hoje estes mesmo personagens se tornaram figuras irritantes e desnecessárias. Como se não bastasse, o roteiro limou a única personagem com carisma  e possibilidade de arcos interessantes: Katherine. Já Matt é utilizado como um coadjuvante de luxo.

SPIN-OFF




Aproveitando a audiência, a CW resolveu criar uma série derivada com os personagens ditos como vampiros originais. Embora amplamente questionada, o fato era que a presença dos irmãos Klaus e Rebekah já eclipsava todo o elenco da produção e a saída de ambos provocou sim uma desestruturação da trama, principalmente pois aniquilou a relevância de Caroline e Matt no roteiro. Em seu primeiro ano, The Originals conseguiu ir contra as expectativas negativas e se mostrar como um série elaborada, a ponto de ser apontada aqui como umas das melhores da temporada. Porém, resta a dúvida: já pensou como  seria se o roteiro desenvolvido no show- com os devidos ajustes- tivesse sido aplicado em sua série mãe? Sem dúvida, teríamos tido algo bem melhor do que nos foi apresentado no quinto ano de TVD.

3 comentários:

  1. Como ousa falar mal da quinta temporada de TVD, sendo que essa foi a melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus ele está revoltadinho pq descobriu q as pessoas são inteligentes a ponto de saber q vampire diaries eh uma bela bosta

      Excluir
  2. Como ousa falar mal da quinta temporada de TVD, sendo que essa foi a melhor?

    ResponderExcluir